Tudo me parecia cinza, esparso e também estranho. E o mesmo acontecia com os dias, com as músicas, com a sua face iluminada em um filme noir clássico e impecável. Também as estrelas, o céu sufocante e infinito, o amor que nos aprisiona debaixo das principais constelações, anjos e Beethoven à parte.
Eu via tudo isso e tudo isso me parecia cinza, eu pensava, isso também está dentro de mim, enquanto eu caminho soturno pelos bares e avenidas, respiro, transbordo cambaleante pela superficialidade das coisas.

segunda-feira, dezembro 19

O nosso jeito de amar era diferente. Ele não me obrigava a sorrir e eu não forçava piadas. Chorávamos juntos.

Um comentário:

  1. os jeitos diferentes de amar geralmente são os melhores <3 saudades amiga

    ResponderExcluir